Segundo filho é mais problemático que o primeiro, diz estudo - Garanhuns Eventos - Informação e Entretenimento

Últimas Notícias

terça-feira, 21 de maio de 2019

Segundo filho é mais problemático que o primeiro, diz estudo


Se você é o segundo filho de uma família e se sente a verdadeira ovelha negra, saiba que a ciência possui uma explicação para o fato. E mais: você pode até colocar a culpa em seus pais se um dia for acusado de ser “problemático”.


De acordo com um estudo liderado pelo professor Joseph Doyle, do MIT (Massachusetts Institute of Technology), a ordem de nascimento dos filhos influencia no desenvolvimento da criança em diversos fatores.
A “maldição do segundo filho” começaria logo na idade escolar e poderia permanecer até a fase adulta. Segundo a pesquisa, o fato pode até aumentar as chances de uma pessoa cometer atos delinquentes no futuro. Mas calma: pode soar assustador, mas não há motivos para grandes alarmes.
Para chegar a conclusão, o trabalho científico analisou dados colhidos a partir de grupos de irmãos dos Estados Unidos e da Dinamarca. Foi descoberto então que “os filhos número dois” apresentaram entre 25% e 40% mais chances de se envolverem em problemas sérios na escola ou até mesmo com a lei, quando comparados ao primogênito. O fenômeno ainda é mais comum se o segundo filho é um menino, diz o estudo.

Por que o segundo filho é mais problemático?


A equipe de pesquisadores afirma que a educação dada pelos pais é uma das principais razões pelas quais o segundo filho costuma ser mais problemático. A ideia faz todo sentido: os primeiros filhos normalmente recebem mais atenção e até mais cuidados dos pais, enquanto o número dois é menos “vigiado”.

Além disso, os primeiros filhos se inspirariam mais nos adultos da família, enquanto o seguinte teria como referências figuras menos racionais, como o próprio irmão mais velho.
Vale ressaltar, no entanto, que não existe uma regra quando o assunto é composição familiar, já que cada núcleo possui dinâmica própria.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

As mais lidas da semana