Johnny Hooker protesta contra censura a peça puxando coro "Jesus é travesti" e é vaiado na penúltima noite de shows do FIG 2018 - Garanhuns Eventos | Notícias e Entretenimento

Ultimas Notícias

Post Top Ad

Banner_anuncie_aqui%2B-0001

sábado, 28 de julho de 2018

Johnny Hooker protesta contra censura a peça puxando coro "Jesus é travesti" e é vaiado na penúltima noite de shows do FIG 2018


Quem achou, até ontem, que o depoimento de Daniela Mercury no FIG, contra a censura e em defesa da atriz Renata Carvalho, foi duro e inflamado, nem fazia ideia do que estava pra acontecer na 8ª noite de shows do 28º FIG na praça Mestre Dominguinhos. 

Última apresentação da noite, o cantor pernambucano Johnny Hooker, inflamou o público ao parar sua performance para fazer um discurso, também contra a censura à Peça o Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu. 

O artista, que é assumidamente homossexual, começou dizendo que o slogan do FIG, "Viva a Liberdade", era falso pois o evento não trazia liberdade alguma, em uma referência ao espetáculo polêmico que foi apresentado em meio a confusão e tumulto  em duas sessões na noite desta sexta-feira em Garanhuns. 

No trecho mais inflamado do discurso, Hooker vociferou: "Jesus é Travesti sim, Jesus é transexual sim, Jesus é bicha sim". Após isso, convidou o público para cantar com ele o coro: ih ih ih, Jesus é travesti. O que se viu depois, ou melhor, se ouviu, foi uma vaia de parte da plateia. O cantor respondeu pedindo para enfiarem a vaia no..(palavrão). O pernambucano ainda causaria mais polêmica quando disse ter certeza de que tinha muito uísque ali sendo pago com o dinheiro público (apontando para os camarotes). Durante o discurso, Hooker, apesar de vaiado, também foi ovacionado por fãs que lotaram a parte da frente da praça, que fica próxima o palco. "Eu considerei exagerado e ofensivo essa fala. Ele entrou em um paradoxo e acabou fazendo um discurso vazio. E estou falando como alguém que é fã de Jonny Hooker. Gosto das músicas dele", frisou um jovem que assistiu à apresentação.

Fora a polêmica causada pelo ato inflamado do artista, que pregou tolerância de uma maneira extremamente intolerante, Hooker trouxe sucessos do seu primeiro álbum tais como ("Eu vou fazer uma Macumba pra te amarrar, maldito!), "Volta", "Alma sebosa", "Amor marginal", "Chega de Lágrimas" e outras. Ele também, além de tocar canções do novo álbum, ("Coração"),  apresentou "Beija Flor", de Timbalada. O ponto alto foi um dueto com Gaby Amarantos cantando o single Corpo Fechado, do seu mais novo álbum.

 Polêmico e querendo fogo, Hooker ganhou aplausos de parte do público quando, no início do seu show, se dirigiu ao guitarrista de sua banda e deu-lhe um longo beijo na boca.  

É mais um capítulo triste de um festival que vem sendo marcado por fortes tensões morais desde que o cancelamento da peça O Evangelho Segundo Jesus Rainha do Céu, onde a travesti Renata Carvalho encarna um Jesus transexual vivendo nos dias atuais.
FONTE: V&C Garanhuns

Nenhum comentário:

Postar um comentário

As mais lidas da semana